Transporte, Mobilidade, Acessibilidade & COVID-19

A sociedade moçambicana enfrenta junto com o resto dos países do mundo um desafio massivo onde cada sector profissional deve procurar encontrar qual é seu papel no cenário nacional da luta contra o COVID-19 e desenhar e implementar medidas para minimizar o contágio.
O presente documento foca sua atenção especialmente no transporte urbano e metropolitano de passageiros e de mercadorias, embora alguns dos conteúdos e propostas possam ser também aplicáveis a outros subsectores de transporte. O Observatório da Mobilidade pretende oferecer orientações e propostas úteis na tomada de medidas com vista a mitigar o efeito do COVID-19 nos principais centros urbanos de Moçambique, e também estimular o debate sobre os fundamentos que dão sentido às medidas adoptadas e outras propostas, tendo em conta que qualquer medida sectorial não terá o mínimo impacto esperado se não for inserida num contexto estratégico integrado, colaborando com todos os outros sectores e em paralelo com medidas de protecção social e económica.


O grande desafio é encontrar medidas com o equilíbrio certo entre seu impacto positivo para favorecer o distanciamento físico e a limitação dos contágios; e que ao mesmo tempo possa ter os menores efeitos negativos colaterais na capacidade de sobrevivência económica das famílias.
Essa dicotomia é traduzida no âmbito da mobilidade entre os conceitos de transporte e acessibilidade. A crise do Coronavírus testa a eficácia do sistema de transporte público e colectivo para manter a acessibilidade mínima imprescindível dos cidadãos sem converter as viaturas e terminais num foco de contágio e expansão do vírus.


Chegado o momento de implementação das medidas, encontramos que o Estado não controla directamente a maior parte dos recursos de transporte disponíveis. Será importante o entendimento das dificuldades dos operadores privados através do diálogo para encontrar as vias adequadas para manter os serviços mínimos de transporte a funcionar, evitando a sobrelotação das viaturas e mantendo as condições certas para evitar o contágio.


O transporte é um sector muito sensível que tem sido motivo de conflito social em diversos momentos da história recente do país, tanto do lado dos operadores e tripulações como do lado dos utentes. Tomar as medidas certas é uma questão delicada para qualquer governo num contexto de crise generalizada.

Artigo completo disponível em: http://observatoriomt.org.mz/wp-content/uploads/2020/05/PMH-5-151214-Project-implementation.pdf ou clique aqui

Palavras chaves:
COVID-19, Transporte público e colectivo, Mobilidade, acessibilidade

Autores:

Joaquín RomeroDeTejada, Antropólogo especialista em Mobilidade Urbana Sustentável e membro do OMT/Waza

Constáncio Machanguana, Sociólogo, professor na UEM e especialista em Transporte Público. Membro do OMT.